Simpósio GSK - Hot Topics na prevenção

Efeitos da DPOC e MenB podem ser evitados ou mitigados

Dr Rui Costa e Dr José AparícioDr Rui Costa e Dr José Aparício

A prevenção em saúde vai estar em grande destaque no Encontro Nacional deste ano, graça ao simpósio «Hot topics na prevenção», apoiado pela GlaxoSmithKline (GSK). Nesta sessão será abordado, em particular, o novo paradigma no tratamento da doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) centrado na terapêutica tripla e o contexto atual e futuro da vacinação contra a doença invasiva meningocócica. Os dois temas, de enorme atualidade em termos preventivos, vão ser alvo de comunicações de Rui Costa (especialista em MGF e coordenador do Grupo de Estudos de Doenças Respiratórias – GRESP – da APMGF) e José Aparício (assistente graduado de Pediatria no Hospital de São João e coordenador do Serviço de Atendimento Pediátrico do Hospital Lusíadas Porto).

A DPOC foi a sexta causa de morte mais comum no mundo em 1990, prevendo-se que em 2030 seja a terceira, estando já em quarto lugar nos países desenvolvidos com aproximadamente 2,75 milhões de mortes por ano. A estratégia terapêutica defendida nas recomendações da Iniciativa Global para a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (GOLD), já desde a atualização de 2019, aponta para a utilização da terapêutica tripla (ICS/LABA/LAMA) em doentes follow-up que estavam em tratamento com ICS/LABA ou LABA/LAMA, com o objetivo de reduzir agudizações e/ou sintomas e por sua vez reduzir a mortalidade destes doentes. Nesta sessão, serão discutidos as principais atualizações das recomendações GOLD 2020, qual o significado de prevenção no tratamento da DPOC e como a terapêutica tripla pode impactar o tratamento destes doentes.

Já relativamente à doença meningocócica invasiva, esta é uma doença com uma elevada letalidade (5 a 14%) e uma frequência significativa de sequelas graves (cerca de 20%), mesmo com tratamento apropriado. Embora estejam descritos 13 grupos, a quase totalidade dos casos de doença são provocados pelos grupos A, B, C, Y, W e X. A forma mais eficaz de controlo da infeção meningocócica é a prevenção através da vacinação. Para além da vacina conjugada contra o meningococo C, incluída no Programa Nacional de Vacinação (PNV) desde 2006 (levando à quase ausência de casos de doença por este grupo nos últimos anos), surgiu também recentemente a decisão de incluir a vacina contra a MenB no Programa Nacional de Vacinação (PNV). Esta decisão permitirá, a partir de outubro de 2020, aumentar a taxa de cobertura das crianças abrangidas pelo PNV, protegendo um dos grupos etários em maior risco para esta doença. Mas e após a efetiva implementação do novo PNV? Que desafios se perspetivam no horizonte em relação à vacinação contra a MenB? E em relação aos restantes grupos? O que pode ainda ser feito e que “armas” temos à nossa disposição? No simpósio serão analisados aspetos clínicos da doença e a sua epidemiologia, com exemplos de casos clínicos reais. Serão também apresentados os mais recentes resultados de efetividade e avaliado o impacto da vacinação em populações de várias partes do mundo.

keyboard_arrow_left Voltar