WORKSHOP - Gestão de multicomorbilidade na pessoa idosa

Coordenação: Grupo de Estudos de Saúde do Idoso APMGF

Dinamizadores:

Ana Vieira
Médica Interna de MGF. UCSP Barcelos / Alheira, ACES Cávado III - Barcelos / Esposende, ARS Norte

Andreia Eiras
Médica de Família. USF Rainha D. Amélia, ACES Porto Ocidental, ARS Norte Assistente convidada equiparada a Professora Auxiliar da Escola de Medicina da Universidade do Minho

Liliana Silva
Médica Interna de MGF. USF Serpa Pinto, ACES Porto Ocidental, ARS Norte

Maria João Macedo
Médica de Família. USF de Tadim, ACES Cavado I – Braga, ARS Norte. Pósgraduação em Geriatria

 

Multimorbilidade define-se pela existência concomitante de duas ou mais comorbilidades médicas ou psiquiátricas relacionadas, ou não, entre si. Associado ao avanço dos cuidados médicos que permitem o aumento da sobrevida do individuo com doença crónica, a proporção da multimorbilidade tem vindo a aumentar, estimando-se que seja de 50% dos indivíduos com >65 anos e 80% dos indivíduos com > 85 anos. As patologias mais prevalentes são a osteoartrose, a hipertensão arterial, a diabetes mellitus, a obesidade e a doença cardíaca isquémica. As principais dificuldades na abordagem da multimorbilidade na consulta de MGF relacionam-se com a fragmentação dos cuidados, a inaplicabilidade das guidelines orientadas para doenças específicas, as dificuldades na aplicação dos cuidados centrados na pessoa e as barreiras no processo de partilha de decisão. São objetivos deste workshop o treino da abordagem do doente com multimorbilidade nos Cuidados de Saúde Primários, nomeadamente através dos seguintes princípios:  Individualização das recomendações clínicas e alvos-terapêuticos,  Abordagem centrada no doente e sua funcionalidade e não na doença,  Instrumentos de apoio à prescrição farmacológica e não farmacológica  Continuidade de cuidados O doente com multimorbilidade é complexo, heterogéneo e necessita de cuidados acrescidos, apresentando-se como um grande consumidor de recursos de saúde primários e hospitalares. Consequentemente, a multimorbilidade é um problema de saúde pública e dos cuidados de saúde nas sociedades modernas. Os Médicos de Família, apesar de estarem numa posição privilegiada para prestar cuidados de continuidade, deparam-se com várias barreiras na abordagem destes doentes, tendo que equacionar e priorizar patologias e tratamentos com a vontade do doente e com os recursos disponíveis em consulta. Com este workshop, o GESI pretende demonstrar e dotar os seus participantes de ferramentas que permitam otimizar a abordagem do doente com multimorbilidade. 

keyboard_arrow_left Voltar